[WebSérie] Sombras do Passado - Capítulo 17



Medo


“O medo é um sentimento cruel, nos aprisiona em um terrível pavor. Por outro lado nos leva a ter atitudes impensáveis, atitudes de liberdade”.

[17 de outubro de 2016]
Desde que soubera que todo o problema que aconteceu teve como principal causadora sua própria mãe, Jonas ainda não havia falado com a mesma sobre o assunto, talvez por falta de coragem, mas decidido a passar tudo a limpo o rapaz soltou aquilo que estava preso em sua garganta logo pela manhã daquele dia, enquanto tomavam café.
— Acha bonito arriscar a vida dos outros por motivos tão egoístas?! — o jovem consultor possuía um rosto sério, suas palavras eram ditas duramente.
— Sabia que mais cedo ou mais tarde viria tirar satisfações... — Verônica parecia não se importar com o acontecido —. Fui visitá-la, não fui? Já é mais que o suficiente para que eu prove o meu arrependimento — a loira possuía certa ironia no falar.
— Seu arrependimento não faria a mulher que amo voltar à vida caso a perdesse, muito menos sua memória de volta... Faz ideia das consequências?
— Vai me importunar por causa de qualquer uma?
— Ela não é qualquer uma, é a mulher que eu amo! — Jonas alterou sua voz.
— Você deve amar somente a mim! — a estilista deu um soco na mesa fazendo os talheres saltarem —. Fui eu quem mudou a sua vida, deu-lhe amor, carinho e atenção! Se eu não aparecesse na sua vida nada disso o teria alcançado!
— Eu sei disso, sempre soube e sempre a amei com todas as forças para demonstrar minha gratidão. Mas sejamos adultos e veja que o meu amor para contigo é de filho para mãe, o que existe entre mim e Renata é amor de homem e mulher... Ele não substitui o materno, mas é indispensável a qualquer ser humano... Consegue entender?
— Não! Não consigo! — Verônica era ríspida ao falar —. O meu amor já é mais que o suficiente para satisfazer o seu coração... Por que não seja como os muitos homens desse mundo que apenas ficam com as mulheres a fim de satisfazerem os desejos da carne e depois as jogam fora?
— Não consigo acreditar no absurdo que escutei — o rapaz, desapontado, levou as mãos ao rosto —. Quer dizer que não lhe importa que as pessoas brinquem com os sentimentos umas das outras?
— A dor passa... Eu sei que ela passa.
Naquele momento Jonas sentiu alguma pena da mãe pelo que ouvira de sua boca, algo dizia que o no passado ela passara por algum sofrimento.
— Então por que com Letícia tudo bem? Qual a diferença?
Ficando alguns segundos em silêncio a senhora Morgan respondeu:
— Ela me deve cada centavo do sucesso que tem feito. Pagaria não lhe roubando de mim. Já que precisa tanto de uma mulher para chutá-lo enquanto dorme que seja ela!
— Existe uma coisa chamada amor. Casamento apenas funciona quando ele existe entre ambas as partes, o que não acontece entre mim e a sua protegida.
— Filho, eu te amo, se eu perdê-lo minha vida termina, tornar-se-á escura e fria — colocando a mão sobre as do filho Verônica continuou: — Você é a minha razão de viver, você é o motivo da minha alegria. Ouvir a sua voz aquieta minha alma. Olhar para o lindo homem que se tornou me enche de orgulho. Tudo o que eu faço contra os seus namoricos é por amá-lo sobre todas as coisas, não quero que ninguém o machuque...
— Também a amo, de todo o coração, é a mulher que deu sentido à minha vida — o rapaz penetrava seu olhar no da mãe, precisava convencê-la de que ela nunca o perderia, no máximo o dividiria —. Já que me ama tanto peço que fique longe do meu namoro com Renata, nada do que faça irá destruí-lo. Evite discussões, evite distanciamentos. Aceite as coisas como elas são.
Completamente irada a estilista acompanhava os passos do filho apenas com o olhar, em sua mente pensamentos perversos contra aquela que tornava-se sua maior inimiga ganhavam focas enquanto em seu coração o ciúmes e o desejo por possessão cresciam cada vez mais.

*

Finalmente os produtos da Button Modas já estavam nas diversas lojas do Brasil, exibidos com destaque pelas vitrines, prontos para os consumidores. Com os diversos telões de anúncios espalhados pelo país alugados à novata, porém talentosa estilista, fez o seu anúncio:
— Minha amiga menina, garota, moça, mulher e até mesmo minha senhora, convoco cada uma de vocês para uma mudança no guarda-roupa; chega de mesmice, chega de abri-lo e encontrar o mesmo símbolo, encontrar o de sempre. Nossos produtos já estão esperando por vocês, a inovação mudará os olhos do mundo sobre as brasileiras. Corram!
Bastante otimista com os resultados que sonhava ter Renata mesmo resolveu atender a porta de sua sala logo que terminou a transmissão, mas a surpresa não foi tão agradável.
— Não é a ex do meu namorado? — a mulher perguntou sem ao menos dizer “olá” —. O que faz aqui?
— Podemos conversar? — os olhos de Letícia denunciavam toda a angústia que sua alma sofria.
Percebendo a apreensão da garota Renata decidiu ouvi-la, mandando-a entrar e sentar-se.
— No que posso ajudá-la?
— Pode me contratar? — a garota demonstrava algum desespero —. Não me importo em ganhar bem menos do que recebo ou de nem  mesmo ter todo o reconhecimento que tenho... Apenas quero que me livre de Verônica.
— Confesso que me pegou de surpresa, eu não esperava por isso.
— Juro que não estou agindo de má fé, muito menos tenho a intenção de me aproximar de Jonas, até porque não o amo mais, apenas preciso salvar a minha vida.
— Pode me explicar o que está acontecendo? Prometo averiguar sua situação.
— Posso confiar em você?
— Claro, eu prometo — Ao escutar que Letícia queria se livrar de Verônica, Renata começou a entender o que estaria acontecendo e, então, decidiu ouvir.
— Aquela mulher é muito má, uma criminosa sem escrúpulos... Recentemente descobri que mantém um homem preso no porão da mansão, em condições precárias, por um descuido acabou sendo revelado que eu conheço o segredo e agora tenho uma semana para conquistar o seu namorado ou serei morta. Eu não quero fazer isso, mas também não quero morrer... Você é minha única salvação.
Atenta a cada palavra a estilista não criou desconfianças, antes se interessou por saber mais sobre o prisioneiro.
— O que sabe sobre homem?
— É o verdadeiro pai de Jonas.
Tal descoberta foi um grande susto para Renata, que conhecia as atrocidades da tia, mas que agora tinha certeza de que a potente mulher não acreditava em limites.
— Sabe o nome dele?
Esforçando-se para lembrar Letícia deu a resposta:
— Raul!
Não podia ser coincidência, a estilista agora sabia como agir, para isso seu exército teria que ser reforçado.
— Vamos agora mesmo à Morgan Modas. Você pedirá demissão, caso ela comece com as ameaças eu a salvo. No caminho conto a minha história, você precisa conhecê-la.

Conhecendo ainda mais o tamanho da maldade daquela que passou os últimos anos dividindo o mesmo teto Letícia se encheu de temor, seu receio crescia no peito.
— Letícia? Não era seu dia de folga? — Verônica esteve surpresa ao receber a modelo em sua sala.
— Sim — a garota demonstrava seu medo.
Estranhando aquela que conhecia tão bem a estilista perguntou:
— Apreensiva?
— Um pouco...
— E por quê?
Pensando antes de responder Letícia se encheu de coragem, precisava ser forte, destemida.
— Vim pedir demissão.
Ainda mais surpresa Verônica levantou-se de sua cadeira lentamente, em seu rosto um sorriso doentio tomou forma, seu costumeiro olhar ameaçador logo surgiu.
— Repete — com extrema calma a senhora Morgan pediu.
Dessa vez ofegante Letícia obedeceu:
— Vim pedir demissão.
Abrindo a gaveta de sua mesa e dando um largo sorriso Verônica tornou a fazer o seu pedido, ainda mais calma:
— Repete.
Com o coração pulsando mais forte a modelo obedeceu mais aquela vez:
—Vim pedir demissão.
Tirando um canivete da gaveta e observando o objeto com um semblante perverso a renomada estilista fez o seu pedido pela terceira vez:
— Repete.
— Verônica Morgan mata funcionária, ótima manchete aos jornais, não acham? — Renata apareceu, para o alívio de Letícia —. Você é surda? A garota já respondeu!

Continua...

~~~~~~~~~~~~~~~~~
No próximo capítulo:

Observando com atenção aquele homem alto que tinha todos os cabelos compridos e judiados, deixando claro o a falta de um tratamento, a barba que passava a ideia de que há muito tempo não recebia a visita de um barbeador e os olhos fundos, a modelo teve uma triste lembrança, a qual pressionou seu peito, formou um nó em sua garganta.
— Eduardo...

De segunda à sexta, às 19h30!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Amar é mudar a alma de casa"

A Brevidade da Vida

Aflições na Alma

Flores aos mortos

Que a gente saiba florir, onde a vida nos plantar!