[WebSérie] Sombras do Passado - Capítulo 29




Enigmas


“Enigmas são peças de um quebra-cabeça, quando organizados podem revelar segredos ocultos, segredos sombrios”.

<<Estados Unidos>>
A lua se destacava no céu estrelado de Nova Iorque. A sensação fria do outono tocava os corpos. Aquela noite iluminada na cidade tão famosa não tinha a formosura que Remata conhecia, era tensa, pacata, sombria.
Ao adentrar o moderno hospital a estilista encontrou aquele que a acolheu como um pai já sem vida, coberto pelo pano transparente, aguardando que viessem buscar o seu corpo. Derramando o choro de dor Renata fez um breve agradecimento aquele que a ajudou a ser quem era.
Entrando na UTI se deparou com sua mãe cercada por aparelhos, estava viva graças a eles. Embora a morte seja a única certeza que temos nessa passageira vida nunca estamos preparados para passarmos por ela, somos criados para os ganhos, não para as perdas. Aquela bondosa alma ocupava um lugar especial no coração de Renata, embora não fosse de sangue era sua mãe e ser mãe é mais do que um grau de parentesco, é amor, é carinho, é dedicação e atenção, tudo isso a bem sucedida estilista encontrara em Mary.
— Mãe — a mulher acariciou o rosto daquela senhora com um suave toque enquanto as pesadas lágrimas caíam sobre o chão —. Sei que já trabalhou muito nessa vida, sei que merece um descanso, mas não precisa me deixar para tal... Agora posso voltar pra casa e cuidar da sua saúde, passar todo o tempo ao seu lado.
Os olhos da senhora se abriram vagarosamente ao ouvir a voz da filha, eles possuíam um brilho incomum, algo nunca visto antes. Sorrindo, ela pegou na mãe de Renata e começou a falar o que precisava, a revelar o segredo:
— Minha filha, como sempre se fazendo presente em todos os momentos... É chegada a minha hora, já vivi por muito tempo, alguém precisa continuar por mim...
— Posso continuar com você... As coisas na empresa estão cada vez melhores.
— A empresa é apenas parte da sua vida normal, a vida que todos conhecem a vida que é permitida a todos enxergarem... Existe outra vida, é essa que precisa de continuidade, é essa que de fato começara para você.
— O que quer dizer? — o olhar confuso de Renata denunciava as muitas dúvidas que invadiam a sua mente. Muitos enigmas foram feitos nesses últimos tempos, o quebra-cabeça estava prestes a se montar.
— Acredita no acaso?
— Não. Tudo tem um porquê. Tudo pode ser explicado. Se não tiver explicação deve ser vivido, porque algum sentido terá — repetiu o pensamento do noivo.
— Sábias e curtas palavras! Quero que ao voltar para o Brasil leve Jéssica e Letícia junto a você até Raul, ele deverá esclarecer todo o mistério.
— Como sabe delas?
— Não importa. Sinto que não tenho tempo para delongas — a senhora precisou se esforçar a fim de recuperar o fôlego —. Faça o que falei antes da lua cheia, é o tempo exato... Não a encontrei naquela praia há vinte anos por acaso, precisava escondê-la das mãos de Verônica, aquela mulher é sedenta por algo que apenas você pode lhe dar, a totalidade!
— Que totalidade é essa? O que isso significa?
Por alguns segundos Mary se manteve inativa, para apreensão de Renata, mas logo os sentidos retornaram, porém o fim se aproximava.
— Você não é como pensa que é, não somos o que pensam que somos, somos o inexplicável... Lute para que não roubem de você o que está aí dentro, é poderoso, é destruidor.
O rosto daquela senhora aos poucos ganhava um brilho, o que era impossível aos olhos humanos estava acontecendo. Dando o característico sorriso simpático Mary ergueu uma das mãos, repousou-a sobre o rosto da filha e disse as que seriam suas últimas palavras:
— Eu te amo!
Um vento misterioso tomou conta do lugar, um vento que apenas Renata sentiu. Aquela mulher deitou a cabeça de lado, agora descansava para todo o sempre. Com o coração ferido a estilista derramava lágrimas enquanto seu corpo fora tomado por um arrepio nunca sentido antes. Sua vida de fato começaria.

<<Brasil>>
Sentada no canto da cela Verônica observava pela estreita janela gradeada o luar, a lua que inspira poetas em suas poesias , a lua que inspira os apaixonados; a lua que inspira as misteriosas lendas, sempre cercadas por algum toque de verdade.
Nos pensamentos daquela mulher o foco era fugir dali, alcançar a liberdade, mas para isso o que havia sido tirado dela precisava ser reconquistado, o que apenas aconteceria com a morte de alguém.
De cabeça baixa, quando nenhuma nuvem escondia a lua, Verônica sentiu coração acelerar, seu corpo arrepiar e o sangue ferver. As mulheres que com ela dividiam o espaço se preocuparam, mas a preocupação se transformou em pavor quando a estilista ergueu a cabeça mostrando os caninos afiados e os olhos vermelhos como brasa.
— Léia Morgan está morta!

*

[06 de novembro de 2016]
Enquanto uns passam por momentos apertados outros vivem momentos especiais, essa é a vida em uma de suas definições.
Desde que conhecera Pedro, Letícia não o tirava da cabeça, o garoto rondava seus pensamentos a cada instante, aquilo só podia ser paixão. Percebendo que o jovem era mais tímido, a modelo deu o passo inicial e o convidou para um passeio pelo tão freqüentado parque pelos casais apaixonados da grande São Paulo.
Pedro também havia percebido algo diferente pela colega de trabalho, algo sentido apenas na época do primário por uma menina especial, com a qual nunca teve contato. Decidido a dessa vez fazer diferente, passar por cima da timidez e assim conquistar alguém que ficasse para sempre em sua vida, o garoto aceitou de prontidão ao convite, mesmo sabendo das dificuldades que enfrentaria.
— Fico contente por estar aqui, não é todo mundo que aceita sair comigo, costumo falar um pouco demais — a garota disse em tom humorado, queria quebrar o insistente gelo.
— Eu seria infantil ao recusar o convite de uma menina tão linda — para um tímido Pedro estava se saindo bem, ele mesmo confessou isso.
— Linda? — a modelo gostou do elogio —. Acha mesmo?
O garoto não sabia ao certo o que respondeu, mas arriscou uma cantada:
— A mais linda que já conheci.
Corada, Letícia retribuiu:
— Viver na praia durante toda a vida fez bem para você, é o moreno mais atraente que eu poderia ter visto — temendo que a conversa estivesse “avançando” demais a moça mudou o assunto: — Como convenceu sua mãe a vir para cá? Se ela for como a Verônica prevejo uma história dramática...
Abaixando os olhos por algum tempo o rapaz respondeu:
— Não tenho mãe... Ela se foi ao me dar a luz.
Sentindo-se mal pela delicada pergunta a modelo contornou a situação:
— Desculpa, não era minha intenção entristecê-lo.
Com um semblante de satisfação Pedro respondeu:
— Se existe uma heroína ela é a minha mãe... Morreu para me dar a vida, tenho certeza deque guardo um pouquinho dela dentro de mim e isso me conforta... Sei que onde quer que se encontre sua torcida é por mim.
— Muito bonito o que disse, é reconfortante.
— E os seus pais? Como são?
— Morreram da pior forma possível — aquilo também a afligia, mas lidava melhor com a situação.
— Desabafei com você, se sentir segurança pode falar comigo.
— Pessoas estavam sendo encontradas mortas misteriosamente por aqui, ora tiro, ora enforcamento, ora mordidas e arranhões como de animais. Isso acontecia durante as madrugadas. Iam dormir alegres com suas famílias e não acordavam mais. Uma bela madrugada acordei com gritos desesperados — uma lágrima caiu dos olhos da garota, a única —. Meu pais foram estrangulados.
A sombria e misteriosa história causou arrepios em Pedro, que não sabia o que dizer perante tamanha barbaridade.
— Eu sei, é tenso — ela abriu um sorriso —, mas no final tudo deu certo, fui criada por meus avós e hoje estou encarando os olhos mais perfeitos que poderia ver.
Sorrindo timidamente Pedro abaixou a cabeça, mas logo foi surpreendido por uma pergunta:
— Quer namorar comigo?
— E-eu... Sim...
Por alguns instantes Letícia encarou o rapaz, esperava por algo, sentindo-se incomodado ele indagou:
— Precisa de alguma coisa?

— Disso — revirando os olhos a garota deu o primeiro beijo que o rapaz recebera, o beijo que lhe revelou o que era amar.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
No próximo capítulo:

— Quer dizer que Mary Button mandou que viesse me procurar junto dessas garotas para que eu revelasse toda a história? — o homem que antes possuía uma mal cuidada barba agora tinha o rosto limpo, o semblante cansado pelos anos de prisão agora transmitia contentamento.

É o capítulo da reviravolta, uma história cheia de novidades, surpresas, que sairá da lógica!

São as últimas semanas de Sombras do Passado!

De segunda à sexta, às 19h30!

Comentários

Siga o blog pelo Instagram:

Postagens mais visitadas deste blog

"Amar é mudar a alma de casa"

A Brevidade da Vida

Aflições na Alma

Flores aos mortos

[Conto] Eternizados Pelo Amor