[WebSérie] Sombras do Passado - Capítulo 40



Sedução


“A sedução quando desvia alguém do caminho do bem para o do mal pode ser fatal. Feliz é aquele que tem domínio sobre a própria mente”

“Era uma noite de lua cheia, a mais bonita de toda a minha vida, a mais desastrosa na minha existência. Eu havia a pouco recebido o prêmio de melhor aluno do colégio, como benefício fui presenteado com uma bolsa de estudos para uma das melhores escolas da Europa, mais pais e eu festejamos naquela noite o ocorrido. Nunca fomos influentes no mundo normal, nossa vida era singela, humilde, discreta, mas sobre o mundo sobrenatural tínhamos grande relevância: meus pais lideravam um dos mais poderosos grupos de vampiros que tinham como terríveis inimigos uma das alcatéias de lobisomens ‘hiperpoderosas’.
Tudo corria bem. Comíamos, ríamos, divertíamo-nos e fazíamos plano ao futuro que nos esperava quando as luzes se apagaram. Achamos que fosse uma queda de energia passageira até que elas se acenderam novamente e diante os nossos olhos alguém que nos declarara guerra: a Alfa Sombria, ou como o resto do mundo conhece, Verônica Morgan.
— Pensei que fôssemos amigos — aquele terrível ser tinha um olhar repleto de ameaças, instaurava em nós o receio, dava-me pavor o simples ato de encará-la —. Porém vejo que estão em festa pelas conquistas do nosso pequeno Erick Parker e nem ao menos me convidaram.
— Não estamos em festa, apenas em uma reservada comemoração — meu pai se colocou perante mim e minha mãe em um gesto de defesa —. Além do mais não me lembro de termos laços de amizade.
— Tem razão... Vampiros e lobisomens são rivais por natureza, não posso forçar algo impossível... Mais cedo ou tarde eu adoraria rasgar suas gargantas —  sobre a sua voz o perigo imperava.
— E nós adoraríamos despejar o seu sangue sobre a podridão do chão, já que não é digno de ser tomado nem por animais.
— Quanta ofensa... — levou a mão ao peito.
— Diga logo o que você quer... — meu pai apertava as mãos, seu nervosismo começara a transparecer —. Embora eu já desconfie sobre o assunto quero ouvir da sua boca que sofreu um blecaute para pobres morcegos!
— Não tenho mais tempo a perder — aquela mulher deixou que a fera que se escondia em seu corpo fosse liberta, sua transformação era a mais terrível, oscilou a energia —. Vocês mataram um dos meus, agora é a minha vez de retribuir o favor!
Verônica vinha se tornando um alguém desprezível, que rejeitava qualquer sentimento humano que todo sobrenatural ainda pode ter, conforme o tempo passava a sua essência se extinguia, apenas lhe importava o poder. Caminhando no sentido contrário aos da linhagem Morgan a Alfa Sombria criava o seu próprio exército pervertido pelos seus ideais, cujo objetivo era instaurar as sombras, o caos, ela seduzia cada membro lhes prometendo poderes, o que não passava de engano. Uma guerra no mundo que os homens não conhecem foi travada, alcatéias de lobisomens contra Verônica e seu bando, com facilidade espantosa ela aniquilava a todos, com exceção daqueles que pertenciam a sua família. Os Parker sempre tiveram bom relacionamento com os Morgan, venceram a lei da natureza e criaram um laço amistoso, até que a pervertida Morgan se levantou contra a própria linhagem querendo o poder supremo a qualquer custo;  teve, então, início uma luta de igual para igual, uma batalha sangrenta. Foi necessária a ajuda amistosa. Morgan e Parker uniram-se contra Verônica e aos poucos a venciam. Léia, que na época liderava alcateia, sempre foi muito grata a minha família, nossa ajuda foi importante, nossa ajuda nos colocou no centro da perseguição.
Buscando refúgio os Parker se espalharam pelo mundo, meus pais começaram uma nova vida em continente europeu, certos de que a inimiga não os encontraria, mas o pior aconteceu. Após anos de tranqüilidade Verônica pisava em nossa, trazendo consigo as sombras que a acompanhavam.
Pulando na direção do meu pai errou o alvo, já que ele era mais rápido e como em um passe de mágica surgiu no outro canto da sala de jantar, protegendo a mim e a minha mãe. Enraivecida aquela fera virou seu rosto para nós vagarosamente, sua voz grossa resmungava palavra inentendíveis.
— Desista, você não nos vencerá!
— Desde quando sou mulher de desistências? Não descanso enquanto não estiver com o meu objetivo conquistado.
— Então tente a sorte!
A Morgan corrompida dava gargalhada descontrolada, parecia se divertir com alguma coisa. Levando a mão ao bolso da calça rasgada ela tirou um frasco, abrindo-o declarou:
— Eu juro que queria pegá-los de uma forma mais justa, mas preciso acabar logo com isso.
O pó de verbena nos deixou imóveis, apenas víamos e ouvíamos o que acontecia ao nosso redor, mas não conseguíamos reagir. Com uma cruel satisfação estampada no rosto aquela mulher, de volta a sua forma humana, aproximava-se de nós a passos vagarosos, passos calculados.
— Tentei seduzi-los a serem meus parceiros, a lutarem do meu lado, mas recusaram. Poderiam ter o mundo todo em suas mãos, mas preferiram se juntar aos de bom coração e foram obrigados a abandonar uma vida já pronta, viveram dias de angústia, tudo por preferirem o bem... Quantas vezes terei que dizer que ser bom não ajuda em nada? — sem piedade ou misericórdia Verônica mordeu a garganta de minha mãe, que agonizou pela ardência —. Por serem do bem agora morrem lentamente — sua mordida foi depositada em meu pai, que de tanto morder os lábios pela dor que o consumia os fez sangrar —. Garotinho, talvez seus pais não lhe informaram, mas a mordida de um lobisomem em um vampiro é no mínimo fatal — senti seus dentes tocarem minha pele, mas algo de errado acontecera, a mulher perdera seus poderes: era Léia bloqueando os poderes de qualquer lobisomem, aquele era o primeiro aviso da Alfa dos Alfas, que já ameaçava aniquilar todos os poderes por tempo indeterminado. Covardemente a Alfa Sombria correu, deixando a dor em meu peito”.

— Então é por isso que se espantou ao descobrir meu sobrenome? — Renata questionou surpresa pela descoberta —. Como descobriu sem nem perguntar?
— Ao beijá-la me conectei à sua mente e descobri a verdade — o rapaz abaixou os olhos —. Mas devo pedir desculpas.
— Deve mesmo — Jonas se manifestou —. Mas antes pode nos explicar o porquê do beijo?
— Somos seres sensuais, amantes da paixão, apreciadores da beleza daqueles que em nós despertam algum interesse, não pude me controlar, mas senti que ela o ama de uma forma inatingível, ela já possui uma paixão, meu encanto se quebrou e o que me resta é pedir perdão.
— E nós o perdoamos — Renata foi compreensiva.
— Desde que se junte a nós — Jonas completou —. Verônica está mais forte do que nunca.
— Precisamos da sua ajuda agora que conhecemos outra parte da história — a estilista concluiu.
Levantando-se Erick revelou sua decisão:
— Adoraria derrotar aquela que deixou sombras em minha vida, aquela que me fez perder o sentido de viver...

*

Focado em seu trabalho Jonas se assustou ao ver quem entrara em sua sala.
— Verônica? Como conseguiu?!
— Eu sou sobrenatural — a mulher riu —, não preciso de alguém para abrir a porta.
— O que quer aqui?
— Conversar com o meu filho, aquele que tanto amei.
— Aquele que amarrou em uma cama e ainda tenta matar a pessoa que mais ama — o rapaz estava sério —. Eu não quero falar com você.
— Quer proteger aquela que ama? Então me escute.
— Não vou acreditar em nada do que disser, então nos poupe tempo.
— Deixe-me transformá-lo em alguém como eu e a Renata ficará em paz.
— Não sei qual pode ser a sua intenção fazendo essa proposta, mas sei que não desistiria tão facilmente de alcançar a totalidade. Não acredito em você.
— Pense bem... Eu  o amo verdadeiramente. Tendo-a ao meu lado me fará satisfeita, não terei motivos para continuar com perseguições, irei para longe na sua companhia, o suficiente para que a sua amada esteja em segurança.
Por alguns segundos o jovem consultor se sentiu tentado em aceitar a sugestão, mas logo sua mente se iluminou: a conversa era com uma trapaceira.

— Não troco a minha felicidade por nada e ela se baseia em estar ao lado de Renata lutando junto a ela contra alguém tão desprezível quanto você — não hesitou na ácida declaração —. Tudo o que sinto pela sua existência é pena e repulsa. Enquanto for essa mulher cruel viverá com o meu desprezo e nojo — cada palavra feriu a ardilosa ouvinte.

~~~~~~~~~~~~~~~~~
No próximo capítulo:

— Usando o mesmo poder! — desmaiou pela dor.
O homem cessou a tortura, já tinha a reposta que queria.
— Preciso de um vampiro!

Nesta segunda, às 19h30!
É a última semana dessa websérie que conquistou você!

Comentários

Siga o blog pelo Instagram:

Postagens mais visitadas deste blog

"Amar é mudar a alma de casa"

A Brevidade da Vida

Aflições na Alma

Flores aos mortos

[Conto] Eternizados Pelo Amor