[WebSérie] Romântico Anônimo - Capítulo 01


Capítulo 01

A Cidade da Paz era onde o sol nascia com resplendor, o dia começava com os cantos dos pássaros, as muitas árvores espalhadas pela cidade balançavam suas copas e os diversos jardins que enfeitavam o lugar garantiam um perfume em cada canto. Seus quase vinte mil habitantes escolhiam a hora de folga nos parques, nas bibliotecas ou em outros atrativos para reunir a família e os amigos, a simpatia morava no olhar de cada um, a felicidade para eles não depende de muita coisa.

Começo do ano. Segunda-feira. Seis horas da manhã.
O despertador tocou.
Gustavo estava prestes a dar o seu primeiro beijo quando foi tirado do sonho. Era o início do último ano de ensino médio, primeiro dia de aula, ele não podia se atrasar. Destravou o alarme, de olhos fechados se sentou na aconchegante cama, ficou parado por alguns segundos enquanto observava o chão, esticou os braços, bufou, era o recomeço. Ao se olhar no banheiro do quarto percebeu o quanto estava desanimado, a franja bagunçada o deixava com ar de cansado, perdido nos próprios pensamentos passou a imaginar como seria aquele ano, se conseguiria passar no vestibular, se daria início ao sonho de se tornar pediatra, se quando tudo terminasse perderia os amigos que ao longo dos anos conquistou e, o que arrepiava os pelos do braço e causava um frio na barriga, se finalmente daria um beijo.
— Já são seis e dez! — a mãe bateu na porta fazendo o garoto voltar da viagem à lua.
A água morna tocou o corpo do jovem de dezesseis anos, que em poucos meses completaria os dezessete, acordando-o de uma vez. De banho tomado vestiu o uniforme do colégio, sem muita animação apenas passou a mão pelos cabelos já secos, não se preocupava tanto em penteá-los.
— Bom dia — cumprimentou os pais quase que inaudivelmente ao se sentar para o café da manhã.
— Bom dia! — o pai era animado, tentava passar isso a todos que estivessem ao seu lado.
Eduardo Queiroz era Biomédico em Cidade da Paz, um homem alto de cabelos grisalhos e olhos escuros, tinha a barba sempre bem feita e se vestia sempre de forma social. Apesar da postura séria era dono de um coração alegre e sempre estava disposto a contagiar com sua alegria aqueles que o rodeavam.
— Bom dia, querido — a mãe acariciou a testa do filho —. Animado para retomar as aulas?
Juliana Queiroz era uma mulher que se dedicava à família, de estatura média possuía uma grande vaidade com os cabelos sempre lisos e retocados no tom loiro, amante da discreta maquiagem aparentava ser bem mais jovem do que realmente era, seu modo descolado divertia seus muitos amigos.
— Nem um pouco — Gustavo respondeu sério enquanto tomava o leite.
— Que horror! — a mulher reclamou —. Na sua idade eu não via a hora de voltar à escola para não ter que lavar louças...
— Sei... — o biomédico riu —. O que você queria de verdade era me ver.
O garoto emburrado teve que abrir um sorriso.
O senhor e a senhora Queiroz foram os primeiros namorados um do outro, conheceram-se na época da escola e desde então estiveram unidos pelo afeito que os circundava.
— E então, filho, algum problema em voltar a estudar? Sua mãe e eu estamos aqui para ouvi-lo sempre — a família era unida, se entendia e compreendia, um era o suporte do outro e Gustavo sabia disso.
— Não sei se será tão bom... Tenho medo de como as coisas caminharão...
— Apenas acontecerá o que tiver que acontecer.
— E os meus amigos? E se nunca mais puder vê-los?
— Nunca mais é um pouco forte, não acha? — Juliana segurou a mão do garoto —. Cada um seguirá um rumo diferente, é fato, a vida é assim, mas se forem seus amigos de verdade estarão sempre ao seu lado de um jeito ou de outro, você vai ver...
— Como será a minha vida longe da escola? E se eu não conseguir enfrentar o mundo? E se os meus sonhos simplesmente naufragarem?
— Quanto drama, meu jovem — Eduardo sabia o quanto o filho era dramático —. Você não está sozinho no mundo, tem a sua família que o ama incondicionalmente e que o apoiará em cada decisão correta.
— Estaremos sempre juntos — a mulher sorriu para os “homens de sua vida”, como ela mesma dizia —. Até o fim!

<<>> 

O Colégio Inova era melhor escola de ensino médio da cidade, nela apenas ingressavam os alunos que passavam por uma rígida prova, tinham que provar o merecimento pela vaga. O colégio imitava os modelos americanos, com armários espalhados pelos corredores, salas para determinadas disciplinas, quadras para os variados tipos de esportes, banheiros nos quais os alunos podiam tomar banho após o treinamento do time de futebol, por exemplo, e uma piscina para os praticantes de natação. A verdadeira escola dos sonhos.
A fachada do Colégio Inova era cheia de estilo, logo na entrada a área verde se destacava pelo espaço, os jovens aproveitavam os bancos espalhados para se reunirem com os amigos ou namorarem apaixonados. Os funcionários daquele lugar não faziam a linha “carrasco” com exceção da dona Zumira, a inspetora antipática, uma mulher rígida, baixinha, que usava óculos de lentes grossas, um apito insuportável e falava gritando como se todos fossem surdos. Ela era o verdadeiro pesadelo dos alunos, sobretudo de Gustavo.

~2016~
Segundo semestre. Hora do intervalo.
Após muito ensaiar Gustavo se aproximou de Júlia, a garota mais bonita da sala, não tinha um menino que não se interessasse por sua beleza. O garoto sabia que tinha chances, mas era muito vergonhoso, até que em belo dia passou por cima da timidez.
— Po-podemos c-conversar? — gaguejou um pouco, as pernas tremularam.
— Claro — a garota abandonou a roda das amigas ouvindo alguns risos contidos e foi com seu admirador para a área verde —. O que deseja?
— Você — ele corou violentamente, não podia responder aquilo, não era para ter respondido aquilo, mas o nervosismo o descontrolou.
— Não precisa ter vergonha — ela riu —. Eu também o acho bonitinho, a gente pode tentar,
— Tentar? O que quer dizer? — o turbilhão de pensamentos não o deixavam raciocinar.
— Namorar, bobo... — dessa vez ela gargalhou.
— Ah! — seu sorriso tímido tomou força, estava mesmo envergonhado.
De pedido feito e aceito ele tentou beijar Júlia, afinal era isso o que sempre acontecia nos filmes logo que casais se formavam.
— O que significa isso? — o apito de Zumira soou, sua voz no volume máximo assustou o garoto.
Ao encarar os olhos da inspetora Gustavo estremeceu, não queria levar problemas para casa, sua única saída foi correr e desde então não teve coragem para falar com Júlia mais uma vez.

Ao descer do carro e se deparar com a inspetora antipática Gustavo assistiu aquela lembrança com se fosse um filme, sentiu as bochechas corarem, abaixou a cabeça, apressou os passos.
Já eram sete horas e quinze minutos da manhã quando o garoto entrou na sala, atrasado, e não foi poupado do comentário de Gilmar, o professor de Matemática.
— Qual será a desculpa da vez? Lutou com um dinossauro? — o professor provocou risos na turma sem ser sua intenção —. Tem algum palhaço aqui? — fazendo a sala ficar em silêncio apoiou a mão no ombro do seu melhor aluno e o aconselhou: — Seja mais responsável a partir de hoje, eu sei que você consegue!
Gustavo se sentou na fileira do meio, na segunda carteira deixando a que estava a sua frente vaga. Virando-se para trás cumprimentou Isaque, seu melhor amigo.
— Algum aluno novo?
— Até agora não... Por que se atrasou? Pensei que não viria.
— Eu gosto de dormir... — reclamou irônico.
— As moças podem prestar atenção na aula? — Gilmar era um professor rígido, “hora de estudar” em suas palavras “era hora de estudar”.

<<>> 

Thânia Camargo era a diretora do Colégio Inova, uma mulher alta, sempre vestida elegantemente que desfilava pelos corredores da escola exibindo o som do salto alto. Tendo simpatia como segundo nome era amiga dos alunos, cumprimentava a quem fosse sempre com o sorriso no rosto, um exemplo de profissional.
— Licença — ela pediu ao professor de matemática antes de interromper a aula —. Sejam muito bem-vindos de volta — cumprimentou os alunos —. Quero que aproveitem ao máximo esse último ano. Também quero apresentar a vocês uma nova colega — indo ao corredor voltou trazendo consigo uma garota —: a querida Gabriela Campos.
Até então desatento Gustavo prendeu a atenção na aluna nova que, sobre sua concepção, era a mais bela de todas.

No próximo capítulo:
— Posso segurar em seu braço? — apontando para os olhos justificou acanhada: — Não enxergo.
Gustavo dessa vez não poupou o largo sorriso:

— Mas é claro!

Salve o blog nos favoritos do seu navegador e não perca essa história feita com muito carinho.
De segunda a sexta, às 19h30!

Comentários

  1. Não costumo acompanhar muito webséries, mas gosto muito de lê-las.
    Deixei salvo seu blog, para poder conferir mais sobre essa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Gustavo parece um menino super querido e fofinho por ser tão tímido! Gostei bastante desse primeiro capítulo da sua websérie e já vi que tem muito pra ser contado, curiosa. Você escreve muito bem e gostei demais dessas separações durante o ep. Ta salvo aqui, adorei :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero conseguir envolvê-la com cada personagem 😊

      Excluir
  3. Acho que muita gente já se sentiu como o Gustavo ao terminar uma etapa na escola ou faculdade. Sabemos que só os muitos amigos conseguem manter os laços, de qualquer forma, nada será como antes sem a convivência diária. E os amores então!? Imagino que a Gabriela conquistará seu espaço na vida de Gustavo e lhe mostrará um outro lado da vida. Adorei esse primeiro capítulo da websérie.

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem?
    Adorei o primeiro capitulo você escreve muito bem, acredito que o Gustavo pode vir a ser meu novo crush hahaha por ser tímido e fofinho.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele espera conquistá-la, mas cuidado com o ciúme da Gabriela kkkk

      Excluir
  5. Oi, não sou de ler a fundo este tipo de histórias, mas a sua me prendeu!
    Adorei, identifiquei-me imenso com Gustavo, tenho 16 anos também, faço 17 daqui a uns meses e vou para o último ano do ensino médio!
    Gostei imenso da história, espero conseguir acompanhar com assiduidade!
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Oii
    Adorooo... WebSérie's, gostei muito do seu primeiro capitulo, ansiosa para ler os próximos :D

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, como vai?
    Nossa que texto maravilhoso, eu já amei pois sou apaixonada por esse tipo de texto que envolve o romantismo, e eu já amei mais ainda quando eu vi esse primeiro capitulo, pois envolve uma história miuto linda

    ResponderExcluir
  8. tu escreve muito bem, de verdade!
    tem muitos detalhes das coisas, mas isso não torna a história chata e tu ganha os leitores já de primeira no primeiro paragrafo que me deixou encantada com essa frase "a simpatia morava no olhar de cada um, a felicidade para eles não depende de muita coisa" enfim, adorei.

    ResponderExcluir
  9. ola tudo bem ? gostei muito da sua webserie , o gustavo me cativou com sua meigice vou ficar torcendo por ele nos proximos capitulos. bjssss

    ResponderExcluir
  10. Sabia que não conhecia webséries?
    Achei bem legal viu <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?

    Eu adorei a ideia de criar uma websérie e adorei esse primeiro capítulo, que foi muito bem escrito e bem coeso com tudo que você se propôs. O Gustavo parece ser um daqueles príncipes, um menino calmo e muito bem centrado e que busca encontrar o melhor da vida. Já quero saber como vai ser a relação dele com a nova estudante, tem tudo para ser incrível. Acho que ele vai ensinar e aprender muito com ela!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um dos personagens que maisu gostei de desenvolver 😉

      Excluir
  12. Adorei a ideia , é muito boa o primeiro capitulo ficou maravilhoso eu adorei quero ler mais capítulos a história prende muito a pessoa já quero ler mais é mais

    Blog Paula Oliveira \ Facebook

    ResponderExcluir
  13. Adorei conhecer essa história romântica, com certeza vou salvar aqui no meus favoritos para acompanhar essa web série. Sucesso

    ResponderExcluir
  14. Oi, Tudo bom?
    Ai que história, leve, fofa e romântica, eu simplesmente amei e estou louca para o capítulo 2 rs...
    Parabéns por sua escrita.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  15. Que legal esse tipo de história, uma websérie. Ainda não tinha lido nenhuma e achei essa bem leve e fácil de acompanhar. Você escreve muito bem, continue assim! bjs

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Oiii, tudo bem?
    Que legal, websérie, confesso nunca ter visto ou ouvido falar, gostei da história, talvez eu volte para ler o restante :D
    parabéns, ♥

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Essa história está linda demais! Gostei bastante dos personagens e da sua escrita!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  19. Oi! Adorei a ideia de criar uma Webserie e ela está muito bem escrita. O Gustavo parece ser aquele "boy do sonho", vai ser legal acompanhar a história dele.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Hummmm... já estou curiosa pra saber a continuação... muito legal essas séries em blogs! Gostei!

    ResponderExcluir
  21. Não costumo ler nem acompanhar webseries mas gostei desta! O gustavo parece ser um bom menino,super querido! Somos todos Gustavo no termino da escola. Tudo de bom para você!
    Beijinhos,
    https://fragmentslight.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  22. Já fiquei louca pra ver o próximo capítulo. Já me formei a um bom tempo, mas me identifiquei um pouco com o Gustavo hahaha

    ResponderExcluir
  23. Oii!!
    Preciso salvar já, para não perder a continuação.
    Já estou curiosa para conhecer a aluna nova.
    Você escreve muito bem, parabéns!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sinta-se livre para comentar!

Siga o blog pelo Instagram:

Postagens mais visitadas deste blog

"Amar é mudar a alma de casa"

A Brevidade da Vida

Aflições na Alma

Flores aos mortos

[Conto] Eternizados Pelo Amor