[WebSérie] Romântico Anônimo - Capítulo 02



Capítulo 02


Seis horas da manhã. Toca o despertador.
Gabriela abriu os olhos, mesmo enxergando a insistente escuridão a garota abre um sorriso, desliga o aparelho, procura ao lado da cama sua bengala e se guia até o banheiro. Sem dificuldade alguma toma o seu banho, logo os pensamentos invadem sua mente.
Gabriela era uma garota gentil, desafiada pela vida: sofreu um acidente ainda pequena, perdeu a visão, mas o que não foi empecilho algum para o seu sucesso, deu a volta por cima e conquistou a própria independência. Seu único problema era desacreditar em um futuro no qual viveria os seus dias com alguém que a amasse, ela não acreditava que fosse viver uma história de amor, se não fosse cega talvez conseguisse.
Enquanto tomava banho a garota sentiu um formigamento na barriga, era o nervoso por saber que daria início a uma nova etapa em sua vida: começaria o último ano escolar em uma escola nova. Havia se mudado há poucas semanas para a Cidade da Paz, o seu pai fora o motivo, ele era professor de Português e a ótima oportunidade de lecionar no Colégio Inova fez toda a família se mudar. Gabriela não fazia ideia de como as coisas seriam, se dariam ou não certo, se faria ou não novos amigos, se a aceitariam ou a desprezariam. Embora determinada ela era bastante insegura.
De banho tomado, roupa trocada e os cabelos lisos e dourados perfeitamente penteados a garota se juntou aos pais para o café da manhã e não hesitou em demonstrar suas dúvidas:
— Devo mesmo ir à escola?
— Se quiser um  pouco mais de tempo nós vamos entender — a mãe respondeu, já aflita.
Laura Campos, a mãe de Gabriela, era formada em enfermaria, mas desde que a filha nasceu não exercia a função, dedicava-se inteiramente ao bem estar da filha. Loira desde que nascera era um pouco menor que a maioria das mulheres, “super-protetora” com a filha sempre alimentava o medo de que Gabriela passasse por algum problema, a amava indescritivelmente.
— Acho melhor que vá — o pai deu sua opinião.
Eliseu Campos era professor de Português, um homem gentil, que representava a integridade e que conquistava seus alunos. Sua altura estava na média, sua barba era sempre rala e os olhos azuis o tornavam atraente.
— Também acho — Gabriela concordou —. O que tiver que ser será.
— Eu tenho certeza de que a acolherão muito bem — a mãe preocupada segurou as mãos da filha com um sorriso no rosto —. Você é encantadora, não se preocupe com bobagens.
— Além disso estaremos sempre ao seu lado — o pai completou —. Medo todo mundo tem, nunca estamos preparados para aquilo que é novidade, mas precisamos ter coragem e colocarmos nosso rosto no mundo, é se arriscando que se conquista.

Já no carro com o pai, a caminho da escola, Gabriela o surpreendeu com a repentina pergunta:
— Será que algum dia alguém vai gostar de mim?
— Por que isso? — estranhou.
— Não sei se gostariam de mim da maneira como sonho... É possível alguém que não enxerga ter uma família?
— Mas é claro que sim! Você pode realizar qualquer sonho, basta acreditar — aconselhou —. E o amor não se resume em beleza ou naquilo que é considerado o certo, para o amor de verdade não existem limites. Quando se ama não há obstáculo que não seja vencido.
A garota nada disse, apenas abriu um sorriso, aquelas sábias palavras a confortaram.

<<>> 

Risadas, conversas, algumas correrias, entusiasmos em reencontrar os amigos, os bons e velhos colegas de classe. Perceptiva enquanto ao lado do pai andava pelo prédio do Colégio Inova, Gabriela notou o clima do lugar, pôde concluir que eram muitos os alunos, todos animados.
— Então é você a talentosa Gabriela? — a diretora Thânia a recebeu em sua sala.
— Talentosa é um pouco de exagero — a garota sorriu modesta passeando as mãos pelos braços da cadeira.
— Garanto que não é — Eliseu se orgulhava da filha e não hesitava em elogiá-la perante quem fosse —. Posso ir para a minha sala?
— Como quiser. Eu mesma levarei sua filha à sala de aula.
— Boa sorte, minha pequena — o professor depositou um beijo na testa da garota.
Ao sentir que seu pai já não estava mais ao seu lado Gabriela sentiu um vazio no peito, seus olhos se avermelharam sem que ela soubesse, uma vontade angustiante de chorar a tomou.
— Está sentindo alguma coisa? — a diretora repousou a mão sobre o braço da aluna nova em um gesto de carinho, de apoio.
— Na verdade sim — uma lágrima pesada pingou —. Medo.
— Não precisa se intimidar, separei uma das melhores salas para que você estude tranquilamente, seus colegas saberão acolhê-la muito bem.
— O problema sou eu — Gabriela decidiu pôr para fora o que a sufocava por dentro, uma reclamação que seus pais não poderiam ouvir, talvez não entendessem —. Se eu não fosse cega as coisas seriam diferentes, tenho certeza.
— Não pense dessa forma, ao menos você tem saúde, pode aproveitar a vida como muitas pessoas que almejam não conseguem — a mulher secou a lágrima no rosto da garota —. Cada um de nós temos um processo a passar, uma barreira a enfrentar, ninguém é totalmente perfeito, a gente só precisa acreditar em nós mesmos e deixar a vida seguir o seu percurso. Nem sempre as coisas serão fáceis, mas as dificuldades é o que nos fortalecem!
— Tem razão — Gabriela deu um novo sorriso. Levantando-se sugeriu: — Vamos?
— Como quiser.

— Licença — a diretora pediu ao professor Gilmar antes de interromper a aula —. Sejam muito bem-vindos de volta — cumprimentou os alunos —. Quero que aproveitem ao máximo esse último ano. Também quero apresentar a vocês uma nova colega — indo ao corredor voltou trazendo consigo a garota —. A querida Gabriela Campos.
Todos notaram que era uma aluna especial, que tinha as suas limitações. Disfarçando o nervosismo com o sorriso no rosto Gabriela não controlava a mão trêmula, que fazia a bengala balançar sobre o chão.
— Bem-vinda, querida — Gilmar a cumprimentou.
— Obrigada — a garota respondeu tímida, fazendo a suave voz soar.
— Senhor Gustavo — o professor fez o aluno despertar do encantamento —, ajude a garota a se sentar.
O rapaz obedeceu. Aproximando-se daquela que ocuparia o lugar a sua frente percebeu o quão bonito e meigo era aquele rosto, como um verdadeiro cavalheiro pegou na mão da garota e com cuidado a guiou até a carteira. Ainda acanhada Gabriela deu um discreto sorriso e agradeceu em tom de voz baixo, quase sussurrante.
— Obrigada.
O garoto apenas sorriu, bobo.
— Agora aproveitem a aula e sejam bons colegas — Thânia deixou a sala.

Gustavo mal prestava atenção no professor, apenas conseguia se concentrar no dedilhar da menina à sua frente na máquina de escrever para deficientes visuais. Algo diferente se manifestava dentro dele, o coração balançava de um jeito diferente, o perfume da garota o fazia viajar ainda mais nos mundos paralelos que sua mente criava.
— Eu entendo que a garota seja muito bonita e que seus neurônios adolescentes estejam todos aguçados, mas eu também quero muito ter alguns minutos da sua atenção, lorde Gustavo — o professor deu três batidas no ombro do aluno, fazendo-o corar violentamente pelos comentários e risos dos colegas.
Sem graça o garoto afundou seus olhos no caderno, não queria servir de piada.

<<>> 

Finalmente o sinal tocou. Era a hora do intervalo.
— Quer que o espere? — Isaque perguntou ao amigo, já havia notado a forma como ele olhava para a aluna nova.
— Acho que vou fala com ela — Gustavo sussurrou —. Isso é, se ela for uma das últimas a sair.
— Tudo bem, a gente se vê — já na porta o loiro disse em voz alta, ironizando: — Boa sorte, lorde Gustavo!
— Eu te mato — Gustavo apenas mexeu os lábios, mas mesmo assim soou perigoso.
Vendo que o aluno ainda não sairia da sala Gilmar logo entendeu, dando uma piscadela para o garoto o deixou a sós com Gabriela, ele precisava ser rápido se fosse tentar uma aproximação, logo Zumira poderia aparecer os expulsando dali.
— Quer que a ajude? — Gustavo se ofereceu, bastante acanhado.
— Acho que sim — a garota tentava achar a mochila.
— É disso que precisa? — o garoto guiou sua mão até o acessório.
Sentindo o toque daquele que poderia ser um bom amigo Gabriela agradeceu esbanjando a linha perfeita que seus dentes brancos formavam.
— É sim, obrigada.
— Já tem com quem passar o intervalo? — o futuro pediatra se preocupou, teria avançado demais?
— Acho que não... Onde posso ficar?
Era a oportunidade perfeita.
— Então venha comigo — sugeriu —. Podemos ir ao pátio.
Apegando-se a sua bengala a garota se lembrou de que ainda não estava familiarizada com o lugar, precisou de ajuda.
— Posso segurar em seu braço? — apontando para os olhos justificou acanhada: — Não enxergo.
Gustavo dessa vez não poupou o largo sorriso:
— Mas é claro!

No próximo capítulo:

— Nem tanto — ela continuava acariciando a margarida enquanto seu olhar vagueava em direções aleatórias —. Eu era de outra cidade, meu pai sempre teve o sonho de trabalhar aqui, então como ele conseguiu a oportunidade nós viemos para cá. De onde venho não tinha amigos, no máximo colegas que me ajudavam em algumas coisas, mas que não possuíam tanta paciência. Eu não os culpo — abaixou a cabeça, suspirou —, amigos de cega? É um fardo.

De segunda a sexta, às 19h30!

Comentários

  1. Nossa !!!! A cada capitulo estou ainda mais envolvida com a historia *-*
    Aguardo o próximo capitulo!!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da Gabriela mesmo ela perdendo a visão isso não foi um empecilho algum para a vida dela. Muitas pessoas que não tem nenhum problema na visão muitas vezes se entrega ao fracasso. Gostei muito da história muito emocionante, cativante, abraços.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Adorei a história mas preciso ler o capítulo 01. Gabriela, tadinha, vida marcada pelo sofrimento. E ainda mais numa escola nova, parece que ela é uma grande novidade lá. Tenho esperança que a visão dela volte no decorrer dos capítulos.

    ResponderExcluir
  4. ooi tudo bem?
    uma pela historia parabens gostei muito
    Coisas da Vida

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem ?
    Adorei a continuação do historia, com certeza vou acompanhar para saber o final,
    Adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ah muito legal essa websérie, vou ler o primeiro capítulo pra entender melhor, mas parece que vai ser uma linda história e já estou torcndo por um final feliz, por favor ^^ bjs

    ResponderExcluir
  7. Quero já o capítulo 3!
    Estou amando essa história! Adoro o seu jeito de escrever, consegue me prender ao ecrã!
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Amei que aqui você começou introduzindo a história da novata Gabriela e gente já estou torcendo tanto pelo Gustavo e Gabriela! Que amor os dois juntos. E que ela não perca as esperanças no amor jamais. Simplesmente fascinada com esse capítulo e esperando o próximo!

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? É a primeira vez que leio sua webserie e curti bastante, já estou torcendo muuuuito pelo Gustavo e a Gabriela, eles são lindos de mais!!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Amei a historia de Gabriela, no mesmo instante já fiquei torcendo pela personagem.
    Consegui entrar na historia e ver cada cena, como se fosse real.
    Já estou querendo que aconteça logo o romance entre Gabriela e o Gustavo.
    Aguardando ansiosa o próximo capitulo!
    Bjinhos,
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?

    Estou acompanhando a sua história e simplesmente adorando. Além de ser muito bem escrita e deliciosa de ler, ela tem uma trama importante e um assunto que ainda é pouco explorado meio literário (acho que não li nenhum livro com protagonista cega). Estou louca para saber como o Gustavo e a Gabriela irão se descobrir. Parece que vai ser um romance fofo (assim espero)!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, é um assunto ainda deixado de lado, provavelmente pelo fato de ser um tanto complicado adentrar um mundo que, para muitos dos autores, não condiz com sua realidade. O jeito é deixar se guiar pela imaginação e pesquisar bastante 😉

      Excluir
  12. Oi, tudo bem?
    Gostei bastante desse capítulo, estou adorando sua história e a narrativa. Você escreve bem demais, já pensou em postar em plataformas como Wattpad?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tentei, mas não deu muito certo. O retorno tem sido maior por aqui.
      Agradeço pelo elogio 😉

      Excluir
  13. Olá,
    Simplesmente não dá para desgrudar enquanto não terminamos de ler o texto!
    Amei amei amei.
    Gabriela parece ser uma garota doce e um pouco insegura devido às suas limitações, mas que é determinada e mal posso esperar para conferir o próximo capítulo e ver como Gustavo irá se sair na missão de ajudar Gabriela.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  14. Olá! Tudo bom?
    Eu amei, texto muito bacana, uma leitura leve e rápida, que flui de forma natural.
    Parabéns por seu post e pelo cap. 2.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  15. Aaaaa, esse (futuro)casal pretende oferecer vários momentos suspiros, hein?
    Adorei sua escrita e ja estou ansiosa pelo próximo capítulo :)

    ResponderExcluir
  16. Uma bela história de Gabriela, ela é uma mulher de fibra, não conhecia a história preciso acompanha o primeiro capítulo,porque este segundo acabou me envolvendo intensamente.

    ResponderExcluir
  17. Nossa amei esse capítulo, já fiquei imaginando aqui como será no intervalo parabéns pelo post e esperando o próximo. Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    nossa eu amei ler esse capitulo da webserie é o primeiro que estou lendo e já quero ver o primeiro para entender melhor. Gostei muito da personagem Gabriela e de Gustavo, super fofo. Vou ficar esperando o próximo capitulo. Bjs!

    http://fabiisanto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Adorei a historia da Gabriela! Ela mostra muita determinação e superação! Esse capitulo me fez torcer muito por este casal... quero muito que fiquem super juntos!!! Beijos, Aline Pereira

    ResponderExcluir
  20. Que capitulo lindo os personagens parecem ser muito legais, gostei do Gustavo, gosto desse nome acho muito bonito, adoro historias de romance e você escreve muito bem, vou ler o primeiro capitulo para entender melhor

    ResponderExcluir
  21. Mais um capitulo...
    Ebaaaaa!
    Agora vou poder ler mais dessa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Só quero dizer que essa história vai ficar um show!! Vem logo capítulo 3.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sinta-se livre para comentar!

Postagens mais visitadas deste blog

"Amar é mudar a alma de casa"

Aflições na Alma

A Brevidade da Vida